Natura – Empresa Mais Admirada


O evento “As Empresas Mais Admiradas no Brasil” em sua 12ª edição, realizado em 19/10/2009 em São Paulo, premia a Natura Cosméticos, com o Prêmio de Empresa Mais Admirada.

Saiba mais lendo o post publicado pela Agência Envolverde, boa leitura!

carta_capital“A 12ª edição da pesquisa As Empresas Mais Admiradas no Brasil já entrou para o calendário nacional como um dos eventos mais importantes para a indústria brasileira. Organizado pela revista Carta Capital, o evento tem o objetivo de premiar e destacar as empresas que constroem a respeitabilidade corporativa e, ao mesmo tempo, contribuem para a disseminação da ética empresarial e o desenvolvimento socioeconômico do País.

A pesquisa – realizada nos meses de julho e agosto – entrevistou 1238 executivos de 42 setores da Economia.  Neste ano, o trabalho de campo foi desenvolvido por consultorias distintas que atuaram diretamente para a CartaCapital.  A Oficina Sophia – consultoria especializada em negócios – de Paulo Secches, juntamente com a diretoria da publicação, fez algumas inovações na premiação.  Além das Empresas foram eleitos o Líder Empresarial e as Agências de Publicidade Mais Admiradas. Independentemente do setor, os critérios para a eleição foram baseados em 12 fatores-chaves: qualidade de produtos e serviços, compromisso com RH, responsabilidade social, notoriedade, capacidade de competir globalmente, comprometimento com o desenvolvimento sustentável, inovação, qualidade de gestão, compromisso com o País, ética, respeito pelo consumidor e solidez financeira.

A Natura recebeu o troféu de Empresa mais Admirada em eleição conduzida pela revista Carta Capital, que ontem comemorou 15 anos de existência e lançou mais uma edição especial “As empresas mais admiradas do Brasil”.

Concorrendo com pesos pesados da economia, como a Vale, Petrobras, Nestlé, Odebrecht, Google e dezenas de outras nacionais e multinacionais, a Natura se sobressaiu como a empresa que mais encanta os brasileiros. A qualidade de gestão dos concorrentes são quase commodities, o que certamente colocou a Natura um degrau acima foi seu compromisso com a ética e com a sustentabilidade. Emocionado, o fundador da Natura, Luiz Seabra, lembrou que ontem também foi o aniversário de 40 anos da empresa, que investiu e acreditou na capacidade do Brasil em inovar e criar valor a partir de uma rede de consultores que levam seus produtos a todos os rincões e a todas as classes sociais. De fato, a Natura representa a capacidade do Brasil de se reinventar e criar fórmulas para superar desafios que muitas vezes são impostos por conjunturas que não nasceram aqui.

carta_capital_premio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2º da esq p/ dir) e Mino Carta (dir) entregam o prêmio de Empresa Mais Admirada do Brasil a Guilherme Leal (esq), Luiz Seabra (cen) e Pedro Luiz Passos (2º da dir p/ esq), da Natura ©Álvaro Motta

 

O diretor de redação de Carta Capital, Mino Carta, explicou que a iniciativa de reconhecer as empresas mais admiradas é uma forma de mostrar como o Brasil superou adversidades em uma sinergia entre gestão pública e empresas privadas que continuaram investindo apesar do horizonte pesado da crise financeira internacional. Ele lembrou que os incentivos que o governo ofereceu para manter os níveis de atividade da economia foram bem recebidos e tiveram a contrapartida das empresas, que seguiram apostando na capacidade do governo em manter o pior da crise fora do cenário nacional. “O Brasil está galgando degraus importantes no cenário global e demonstrou a força de sua economia nos últimos anos”, disse.

Além da Natura, outras dezenas de empresas mereceram o reconhecimento em seus setores específicos, e o empresário Antonio Ermírio de Moraes foi eleito a liderança empresarial mais admirada do País. A revista, com quase 260 páginas, trás um retrato esmerado da economia empresarial brasileira, com dados importantes de desempenho e análises de estratégias e objetivos de cada uma das empresas e lideranças lembradas. Segundo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que esteve presente acompanhado de diversos ministros de Estado, uma festividade como esta, que reuniu uma parcela significativa do PIB brasileiro no Rosa Rosarum, em São Paulo, é a prova de que a opção de enfrentar a crise utilizando os instrumentos de gestão do Estado, como a política tributária e o imperativo de manutenção de grandes investimentos públicos e de empresas estatais, estava correta. “O Brasil será a quinta maior economia do mundo em 2016, quando estivermos comemorando a Olimpíada no Rio de Janeiro”, disse um Lula emocionado por constatar que a parte mais ativa da economia brasileira continuou a pleno gás durante este ano de desafios financeiros.

Para o presidente, o Brasil já superou grande parte de seus desafios históricos. Falta ainda o resgate de dívidas sociais em termos de educação e inclusão no mundo do consumo. No entanto, “não há mais volta”, acredita. Lula lembrou que durante décadas o Brasil foi governado para uma pequena parcela de sua população, que não passava de um terço de todos os brasileiros, e que agora todos os cidadãos estão mais próximos de uma cidadania plena: “Cada vez que um brasileiro compra uma casa, significa que um banco oferece um financiamento, uma indústria vende uma geladeira, outra um televisor e outra ainda um fogão”, disse o presidente, que, segundo Mino Carta, é o mais popular do Brasil e o mais admirado fora das fronteiras do País.

Presentes à solenidade, Roger Agnelli, presidente da Vale, e José Sergio Gabrieli, presidente da Petrobras, reagiram com sorrisos ao anúncio feito pelo presidente Lula de que nunca antes estas duas empresas, as maiores do Brasil, haviam anunciado um volume tão farto de investimentos para os próximos cinco anos. “Se eles tirarem estes planos do papel vamos ter muito negócios para os empresários e muitos empregos para o brasileiros”, comentou sorrindo.

A presença da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, reafirmou as apostas petistas na sucessão de 2010, e foi lembrada por Mino Carta, que acredita ser esta uma vertente natural para a continuidade do projeto de país que vem sendo defendido nos últimos anos pelo governo Lula. “Fui o primeiro a anunciar que Dilma seria a candidata do governo, não por ter uma bola de cristal, mas por me debruçar a analisar a realidade com meus botões”, disse o jornalista, que entre outras coisas contribuiu para a construção de pluralidade na mídia brasileira, ao fundar veículos como a Veja, Isto É, Jornal da Tarde e Jornal da República.

Em tempo: Na edição “As mais admiradas”, foi publicado um caderno especial “Os preferidos do agronegócio”, que trouxe o foco das atenções sobre a Tortuga, empresa mineira especializada em nutrição animal. Em segundo lugar ficou a Votorantim, com seus braços no agronegócio, a Citrovita e a Fibria, empresa que surgiu da fusão entre a VCP e a Aracruz. ”.

Fonte: Agência Envolverde

Quer ler mais sobre o assunto? Clique aqui e baixe o arquivo em PDF da Carta Capital e boa leitura!

Veja o website da Carta Capital, clique aqui.

About these ads

2 thoughts on “Natura – Empresa Mais Admirada

  1. um dos meus maiores sonhos é um dia trabalhar numa empreza tão grande e tão adimirada por todos como a natura,por isso estudo e me esforso o bastante.so n sei qual seria a melhor funcão para mim que n pretendo parar de estudar?sendo ainda de menor com 16 anos quais as posibilidades de conseguir um estagio antes de ficar de maior?

  2. gostaria de ver a instalação interna do banheiro masculino com o intuito de ver as instalaç~oes do mictorios a seco que não utiliza agua,tem como ver pelo site de vcs??

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s